Crocodilianos como espécie sentinela da saúde ambiental

Vocês sabiam que os crocodilianos são considerados espécies sentinelas?


Mas o que são espécies sentinelas?


O termo é definido como qualquer não humano que possa reagir a substâncias contaminantes ambientais antes que esses causem algum impacto aos seres humanos. Ou seja, espécies sentinelas podem elucidar os efeitos da exposição de algumas substâncias assim como de alguns agentes infecciosos emergentes na saúde humana.

Um dos exemplos mais recentes é a febre amarela. Todos os macacos são vulneráveis ao vírus da febre amarela, porém algumas espécies como o bugio e saguis são mais sensíveis e apresentam alta taxa de letalidade.


Com a confirmação das mortes dos macacos, é provada a existência da circulação do vírus naquela área, gerando um alerta de saúde pública assim, colaborando na elaboração de profilaxias.


Outro exemplo é dos Gatos Dançantes de Minamata. Palco de um grande desastre ambiental, a baía de Minamata, uma província localizada no Japão, foi contaminada por mercúrio devido ao despejo de dejetos inadequados.


Os gatos apresentaram distúrbios neurocomportamentais, realizavam movimentos estranhos pelo corpo sendo assim chamados de gatos dançantes. Infelizmente, isso não foi visto como um alerta e a população foi acometida devido ao consumo principalmente de frutos do mar.


Mas como os crocodilianos podem ser espécies sentinelas?

Devido à sua posição de topo de cadeia, os crocodilianos são mais expostos à bioacumulação de metais pesados e agentes infecciosos, dessa forma podem ser utilizados como animais sentinelas do ambiente onde estão inseridos e potencialmente usados como bioindicadores.


A exposição a contaminantes ambientais conhecidos como disruptores endócrinos alteram o desenvolvimento e a função de órgãos em várias espécies.


O Bisfenol A (BPA) presente em plásticos e algumas substâncias contidas em pesticidas agroquímicos são considerados disruptores endócrinos. Há estudos constatando que esses contaminantes afetam a ação dos esteróides sexuais, nos crocodilianos alteram a taxa de testosterona e estrogênio afetando conseqüentemente o sucesso reprodutivo.

Devido à redução e modificação dos habitats naturais causados pelo desmatamento associados à ocupação humana, a distribuição dos jacarés sido alterada aproximando-os dos centros urbanos, vivendo muitas vezes em ambiente de esgoto doméstico.


Muitos desses centros urbanos não possuem um tratamento adequado de esgoto, elevando o potencial de exposição de infecção nessas áreas. A leptospirose é uma doença infecciosa que está associada ao saneamento básico inadequado.


Foi relatado DNA da bactéria Leptospira em indivíduos de crocodilianos, portanto, esses animais podem ser utilizados como espécie sentinela da saúde ambiental, servindo como indicador e sinalizador de risco de surgimento de doenças infectocontagiosas ou intoxicações que refletem as condições da saúde do ambiente.

Até a próxima! <3

O Projeto Caiman é uma realização:


- Instituto Marcos Daniel; @imdbrasil


- Projeto Caiman; @projetocaiman


Parceira:

- Instituto Últimos Refúgios; @ultimosrefugios


Texto: