Pesquisadores do Instituto Marcos Daniel recebem a Comenda Augusto Ruschi

No dia 12 de julho de 2022, em sessão solene na Assembléia Legislativa do Espírito Santo em Vitória-ES, o Coordenador do Projeto Caiman, Yhuri Nóbrega, o ex-Coordenador do Projeto Bromélias e pesquisador parceiro Rodrigo Ferreira e o Presidente do Instituto de Ensino, Pesquisa e Preservação da Natureza Marcos Daniel (IMD), Marcelo Renan, receberam a maior honraria relacionada à causa ambiental no Estado do Espírito Santo, a famosa Comenda Augusto Ruschi.


Os homenageados Yhuri Nóbrega, Rodrigo Ferreira e Marcelo Renan. Ao centro Dep. Estadual Fabricio Gandini

Instituída em 09 de abril de 2012 pela Assembleia Legislativa do Espírito Santo (ALES), a Comenda Augusto Ruschi é concedida aos profissionais que atuam no campo da ciência, pesquisa, cultivo e estudo de plantas e a outros profissionais dedicados à fauna e à flora brasileiras, com destaque para a elaboração de projetos e a luta pela preservação da natureza.


Medalha Comendador Augusto Ruschi

Ruschi é considerado o Patrono da Ecologia do Brasil.


Mas quem foi Augusto Ruschi?


Ruschi nasceu em 1915, no município de Santa Teresa, no estado do Espírito Santo e foi um dos mais famosos naturalistas do País. Durante um congresso florestal nas Organização das Nações Unidas (ONU) em 1951, previu que as reservas ecológicas seriam os bancos genéticos e de habitats do futuro.

Amante dos beija-flores, foi o autor da maior obra sobre essa ave e seu grupo do mundo, classificando cerca de 80% das espécies brasileiras, bem como descrições de novas espécies e sub-espécies.

A obra de Ruschi, também foi de grande contribuição no campo da agroecologia. Em seus trabalhos já alertava sobre os perigos dos agrotóxicos e da monocultura do eucalipto, além de anunciar sobre o desmatamento como mecanismo inicial de desertificação do ambiente.


Quando o assunto é plantas, o naturalista catalogou mais de 600 espécies e identificou outras 50, bem como bromélias de seu estado natal. Ecologista e preservacionista intransigente, impediu, empunhando uma espingarda, que o governo capixaba desapropriasse a Reserva Biológica de Santa Lúcia. Também lutou contra o desmatamento de um fragmento de Mata Atlântica em Conceição da Barra, norte do Estado Espírito Santo.

Amante da natureza, passou a maior parte da vida explorando e estudando a flora e a fauna brasileiras, lutando pela preservação da natureza.


"A alegria do barulho desses beija-flores não vai silenciar enquanto eu existir", disse em entrevista à imprensa.


Seus principais trabalhos estão reunidos nos livros “Aves do Brasil” e “Os Beija-flores do Espírito Santo”. Augusto Ruschi faleceu em Vitória, em junho de 1986.


É no município de Santa Teresa, a 80 km da Capital Vitória, que está localizado o Museu de Biologia Professor Mello Leitão, onde você pode conhecer mais de perto a história e a pesquisa de um dos mais ilustres capixabas. O espaço guarda um dos principais acervos de espécies da Mata Atlântida no Brasil.

 

Nós do Projeto Caiman nos sentimos honrados em poder carregar em nossos ombros o legado de um pesquisador tão empenhado pela conservação da Biodiversidade, como o Professor Augusto Ruschi. No que depender de nós, lá estaremos. Pelos Jacarés, pela natureza, o melhor de nossa humanidade.

 

O Projeto Caiman é uma realização:


- Instituto Marcos Daniel; @imdbrasil

- Projeto Caiman; @projetocaiman


Parceira:

- Instituto Últimos Refúgios; @ultimosrefugios


Apoio:

- Prefeitura de Vitória; @vitoriaonline

- Vip Rede; @vip.rede

- Prefeitura da Serra; @prefeituraserra


Texto e Ilustração:

- Fernando Paulino; @inando.bio


Patrocínio Oficial:

- ArcelorMittal Tubarão; @arcelormittaltubarao


Fontes:

- www.es.gov.br

- www.al.es.gov.br

#projetocaiman #meioambiente #natureza #preservacao #jacaredepapoamarelo #caimanlatirostris #jacare #mataatlantica #biodiversidade #mataatlantica #augustoruschi #beijaflores #santateresa #inma #museu #meloleitao