Borboletas e Mariposas: são a mesma coisa?

Quem nunca confundiu uma borboleta com uma mariposa? Ou uma mariposa com uma

borboleta?


Será que existe alguma diferença? Ou é só no nome mesmo?


As borboletas e mariposas sempre nos chama atenção seja por suas cores, pelo seu voo, ou delicadeza. No entanto, às vezes causam uma certa confusão na hora da identificação, não só para os apaixonados por esses insetos, como também aqueles que as estudam.


RE-FI-CO-FA-GE DAS BORBOLETAS

Borboletas e mariposas pertencem a um grande grupo chamado Lepidoptera (asas com escamas) e formam o segundo maior grupo de insetos do mundo em termos de diversidade. São aproximadamente 160 mil lepidópteros voando por aí e cerca de 16% de todas as espécies de insetos viventes. É muita coisa!


Porém, a separação de borboletas e mariposas nem sempre é clara e objetiva. Elas são baseadas em um conjunto de características como: geralmente borboletas são diurnas, pousam com as asas fechadas e muitas vezes tem cores chamativas; já as mariposas usualmente são noturnas, pousam com as asas abertas e tem cores mais escuras.


Mas não se engane, há muitas exceções!


AS APARÊNCIAS ENGANAM

Muitas borboletas têm cores escuras, pousam de asas abertas e algumas espécies podem ser encontradas voando no crepúsculo até o começo da noite. Muitas espécies de mariposas também voam durante o dia, pousam de asas fechadas e podem ser muito coloridas.

Essa confusão toda na distinção entre borboletas e mariposas se deve ao fato de que mariposas não formam o que os cientistas chamam de “grupo natural”, já as borboletas sim.


E o que isso significa?


Quer dizer que existe um determinado grupo de mariposas bem mais próximo evolutivamente das borboletas do que das demais espécies de mariposas. Desta maneira, segundo os cientistas, o que conhecemos como “borboletas” são consideradas, na verdade, um pequeno grupo dentro do universo gigantesco de todas as mariposas.


De um jeito mais simples significa dizer que borboletas são, na verdade, mariposas diferentes!


PONTOS PARA A EVOLUÇÃO

Mas há uma luz no fim desse túnel cheio de borboletas e mariposas...


Existe uma estrutura que facilita na hora da distinção entre esses insetos: as antenas! Sim, esta estrutura que às vezes passa despercebida por nós pode auxiliar nessa diferenciação.


As antenas das borboletas são finas com uma dilatação na ponta, já as antenas das mariposas podem ser o que chamam de pectinadas (dando um aspecto de pente de cabelo) ou plumosas (dando um aspecto de pluma ou pena). A característica da antena, somada ao padrão de coloração e o hábito de voo diurno ou noturno podem nos ajudar a reconhecer borboletas e mariposas.


A REAL IMPORTÂNCIA

Mas, para nossa alegria borboletas e mariposas não estão tão “preocupadas” assim em serem reconhecidas e identificadas corretamente, quem se importa com isso somos nós humanos. O importante para elas são sua conservação, principalmente por serem consideradas os insetos mais ameaçados de extinção no Brasil.


Por isso, além de conhecer e saber o que são borboletas e mariposas, é necessário conservá-las!


A natureza e os ecossistemas agradecem!


O Projeto Borboletas: Cores da Mata Atlântica é uma realização:


- Instituto Marcos Daniel; @imdbrasil


Parceira:

- Instituto Últimos Refúgios; @ultimosrefugios


Patrocínio:

ArcelorMittal Tubarão; @arcelormittaltubarao


Texto:

Thayna Raymundo; @_srthay


Fotografias:

- Leonardo Merçon; @leonardomercon


Ilustração:

- Fernando Paulino; @inando.bio


Redes Sociais:

- Instagram Projeto Borboletas: @coresdamataatlantica



#natureza #borboletas #projetoborboletas #cores #mataatlantica #coresdamataatlantica #biodiversidade #conservacao #mariposas #imd #imdbrasil #institutomarcosdaniel