Repost - Portal ES360: Borboletários, Para que servem?

Este texto é a reprodução da matéria publicada no dia 23/06/2021 pelo Portal ES360, disponível em: https://es360.com.br/borboletarios-para-que-servem


As borboletas são insetos, mas diferente das moscas, mosquitos, baratas e formigas que às vezes incomodam os humanos e causam repulsa, as borboletas encantam e chamam atenção por onde voam. Borboletas e mariposas formam um dos grupos mais diversos de insetos do mundo e exercem funções ecológicas importantíssimas para os ecossistemas.


Os borboletários são como “zoológicos de insetos” exclusivos para a criação de borboletas. Pode parecer simples, mas é bem complexo, considerando as quatro fases do ciclo de vida das borboletas: ovo, lagarta, pupa e adulto. Cada fase demanda um local e cuidados apropriados e diferentes. Geralmente os adultos são encontrados voando dentro do borboletário, que se parece com uma estufa, que é telada, semelhante a casas de vegetação.

Já os ovos, lagartas e as pupas são criadas em ambiente mais controlado como em laboratório. Após a metamorfose, que é uma mudança grande do ciclo de vida, as borboletas são transferidas para o borboletário novamente. Esse processo de criação é um ciclo.


Os borboletários podem ser encontrados em mais de 50 países, presentes em grandes cidades, em áreas turísticas, parques temáticos, em museus e jardins botânicos. No Brasil, os borboletários estão presentes principalmente em parques, zoológicos e jardins botânicos de grandes capitais.


No Espírito Santo há um borboletário, onde pesquisas de educação ambiental e conservação de borboletas são desenvolvidas. Situa-se na área do Centro de Educação Ambiental da ArcelorMittal Tubarão, em Serra, e é conduzido em parceria com o Instituto Marcos Daniel através do Projeto Borboletas: cores da Mata Atlântica.