Jacarés do Brasil #1 - Melanosuchus niger

Ele tem um caminhar lento e majestoso por natureza e em questão de segundos pode mudar para um galope apressado e voraz! Um ser vigoroso, gentil e de certo modo, “sociável”. Gosta de viver em bandos sob rigorosa hierarquia.


CARACTERÍSTICA MARCANTE

Um alinhado escudo que recobre toda a sua superfície corporal. Essa armadura auxilia em combates diretos e no controle de temperatura, já que como este cara é conhecido como um ser de “sangue frio” (ectotérmico)¹ precisa da temperatura do sol para se manter aquecido, portanto, super comum encontrá-lo na beira de rios e lagoas “pegando um bronze”.


Com todas essas dicas, você já deve suspeitar que estamos falando de algum rei se preparado para o campo de batalha, não é mesmo?


E estamos.


PEÇA IMPORTANTE DA NATUREZA

Nosso amigo conta com milhões de anos de evolução, controlador de pragas e animais, peça fundamental para o equilíbrio do ecossistema como um todo. Participante ativo da fertilização de rios e lagoas; amante das águas da bacia amazônica, também ocorre em territórios internacionais (Colômbia, Equador, Bolívia, Guiana Francesa, Guiana e Peru).


O nosso “rei” aventureiro, também reside em estados da região Norte (Amapá, Amazonas, Acre, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins) e na região Centro-Oeste do nosso país (Goiás e Mato-Grosso). Já deu pra perceber que Sua Majestade precisa de grandes espaços com áreas de rios extensos e grandes lagoas, não é mesmo?


Mas afinal de contas, estamos falando de quem mesmo?


Estamos falando de um cara peculiar e inigualável em tamanha beleza, ensinamentos, evolução e proteção! O nosso amado e querido Melanosuchus niger ou para os íntimos, jacaré negro ou jacaré-açu.


O TAMANHO

Conhecido como o “rei dos rios do Norte do Brasil”, o M. niger pode atingir até 6 metros de comprimento na sua idade adulta, sendo considerado o maior predador da América continental. Não sei a mãe de vocês, mas a minha mãe sempre me falou que para crescer forte e bonita (rsrsrs), é preciso comer MUITO!


O Melanosuschus faz isso! Para desenvolver-se com tamanha força e magnitude. Ele é um animal considerado “topo de cadeia”, ou seja, na sua forma adulta, não tem onça, não tem sucuri, que consiga se alimentar nosso “King”, a não ser o predador mais mortal que existe em todo o planeta terra... O homem!


ALIMENTAÇÃO DO JACARÉ-AÇÚ

Quando filhote o jacaré negro se alimenta de pequenos invertebrados (insetos, aranhas, caranguejos e caramujos), peixes, animais pequenos, porém quando adulto... Sai de perto! Para se manter forte, ele precisa se alimentar de grandes presas como mamíferos da fauna local, peixes aves e até outros répteis.


Percebeu um detalhe? O ser humano não está incluso na dieta.


O nosso Caiman² negro sabe o que faz. Estamos falando de um animal pacífico, que surgiu a cerca de 230 milhões de anos atrás, que evita confronto, passa quase 80% da sua jornada na terra dentro da água, apenas com os seus órgãos sensoriais mais importantes para fora (olhos e focinho). Esta é uma estratégia MARAVILHOSA para quem é MUITO GRANDE e não quer (e nem precisa) chamar atenção.


O jacaré negro possui ainda uma característica que acompanha o nome, uma coloração dorsal escura com listras verticais brancas, ou amareladas e manchas marrons por toda mandíbula, essa é uma vantagem evolutiva que facilita a sua camuflagem na água.

Mas já que tocamos no assunto da mandíbula, vocês precisam saber! O nosso rei dos rios é detentor de uma mordida poderosíssima e muito eficaz na caçada. Possui um focinho de aspecto largo e liso o que contribui para a potência do animal, ou seja, uma vez atingindo por sua força e destreza, dificilmente você sairá inteiro (ou vivo). Os crocodilianos são dotados de um apetite voraz e com todas essas características evolutivas, podem comer praticamente qualquer coisa viva da terra!


Falando assim dá até medo né?

Mas tenha “nervo” que o jacaré-açu é só amor!


A REPRODUÇÃO

E falando em amor, a construção da família do jacaré negro é “leve e solta”. Uma fêmea pode acasalar com vários machos então vamos ter papais diferentes em uma mesma ninhada! As mamães preferem construir seus ninhos em locais calmos na beira de lagoas e rios, com presença de vegetação densa, folhas, gravetos e cipós, que são utilizados para a construção de um belo ninho para os futuros bebês.


Os ninhos ficam protegidos dentro por um período de 86 a 102 dias, podendo originar entre 23 e 45 filhotes. Uma curiosidade importante é que os bebes jacarés, começam a “falar” ainda dentro do ovo, nas duas ultimas semanas de incubação. Desta forma eles avisam para a mãe que estão perto de sair do ninho e mãe passa a ter mais atenção com a ninhada.

Viu como se trata de um cara boa gente? Cara tranquilo, constituidor de família, controlador de pragas indesejáveis e manutenção do ecossistema... Mas, nem tudo são flores para o jacaré-açu.


O nosso amado amigo precisa de áreas preservadas para existir e constituir família e infelizmente com a destruição do seu habitat (como desmatamento, poluição), predação das suas populações de forma ilegal (caça por sua carne e pele) e predação do seu alimento (destruição da fauna local), fica cada vez mais difícil para esse ”gigante gentil” manter a sua sobrevivência.


A IMPORTÂNCIA DA PRESERVAÇÃO DO JACARÉ-AÇÚ

Este animal habita áreas de conservação ao longo do território nacional por isso, preservar, conservar e monitorar estas áreas é de fundamental importância tanto para a proteção do jacaré-açu como para o ecossistema que depende do seu poder de equilíbrio!


Devemos lembrar que por ser um animal topo de cadeia, este ser incrível é considerado uma espécie “guarda chuva”³ Ou seja, para o jacaré negro existir, ele precisa de grandes áreas e muitos animais convivendo no mesmo habitat. Conversaremos sobre espécies guarda-chuva em uma próxima oportunidade!

Mas, o que precisamos ter em mente é que, o jacaré-açu não é um vilão, e sim um mocinho pouco compreendido por sua cara de bravo e pouco conhecimento da população. Ele é um excelente indicador de qualidade ambiental, suas necessidades “abraçam” as necessidades de todos os animais que vivem no mesmo habitat que o seu.


O GIGANTE DAS AMÉRICAS

Ele é o maior crocodiliano das Américas e é um dos símbolos da biodiversidade brasileira. Proteger o M. niger é proteger a nossa fauna, a nossa cultura, o nosso país e contribuir para um mundo melhor!

O jacaré negro é apenas uma das seis espécies que contabilizamos em nosso território nacional.


Ao longo de nossa jornada reptiliana, conheceremos um pouco sobre cada um deles e saberemos da enorme importância destes animais que são cheios de força, personalidade, evolução (e porque não ensinamentos?). Temos muito o que aprender com esse gigante gentil.

PAPO ESPECIALISTA

E para abrilhantar nosso papo, trouxemos a palavra de um especialista no assunto!


O Zootecnista MSC. Diogo de Lima Franco é pesquisador do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, do Amazonas e veio comentar um pouco do seu trabalho com a espécie.


Esperamos que goste!

O Projeto Caiman é uma realização:

- Instituto Marcos Daniel; @imdbrasil


- Projeto Caiman; @projetocaiman


Parceira:

- Instituto Últimos Refúgios; @ultimosrefugios


Texto:

- Bruna Eleutério; @artedevet

- Fernando Paulino; @fepalva_


Ilustração:

- Fernando Paulino; @fepalva_


Fotografias:

- Igor Joventino Roberto; @IgorJoventinoR1


Vídeo:

- Diogo de Lima Franco; @diogo.de.lima


Patrocínio:

- ArcelorMittal Tubarão; @arcelormittaltubarao


Agradecimentos:

- Instituto Mamirauá - Conservação na Amazônia

#melanosuchusniger #jacareaçu #amazonia #jacarésdobrasil #conservação #natureza #nature #meioambiente #educaçãoambiental #bioma #brasil #jacarénegro


1. Ectotérmico: A temperatura e taxa corporal é dependente da temperatura do ambiente. Estes animais não conseguem controlar a temperatura interna do corpo.

2. Caiman: Jacaré

3. Espécies guarda-chuva: termo utilizado para representar uma espécie que para existir, precisa de uma grande área conservação, “abraçando” outras espécies e as protegendo.